"UM GOVERNADOR PARA SER SOMENTE SEU"

 


Estamos no terceiro ano do governador Ibaneis Rocha, e a praticamente um ano e dois meses de início do período eleitoral.

Policiais e Bombeiros Militares estão insatisfeitos com o trato do Governador com as categorias militares, haja vista que até momento não se avançou em nenhuma proposta de alterações na carreira, além das constantes ameaças de perdas de direitos vindas de projetos que tramitam no Congresso Nacional.

Nesse cenário, sem perspectivas de mudanças, crescem movimentos de pré-candidatos com seus vídeos de indignação, sugestões, acusações mútuas, etc. Ações sem efeitos práticos.

Lembro-me que em 2009, ano de publicação da 12086/09, a lei foi aprovada e tínhamos apenas o Deputado Alberto Fraga na Câmara Federal, e ainda como suplente. 

Qual a diferença? Por que com dois deputados distritais bem votados e aliados do Governador a coisa não engrena?

Talvez, a resposta esteja lá na formação do Governo Arruda. Em todo  governo existem aqueles que o Governador irá ouvir, seja por afinidade, seja por uma necessidade imperiosa de deixar sua marca, ou ambas as situações.

D


Algumas figuras se destacavam naquele distante 2009, quando da edição da Lei 12086/09, cito Rui Gameira e Normando, além do próprio Alberto Fraga.

Os dois nobres policiais citados tinham acesso ao Governador, estavam em posições estratégicas no governo e tinham poder de sugestão.

No Governo Agnelo, também é possível citar o Cel Leão, chefe da Casa Militar que tinha uma boa relação com o Governador.

Hodiernamente, o atual Governador  possui um aliado semelhante, de outra força policial, que acarretou no quase fim da Casa Militar, e no emperramento do avanço de nossas proposições.

Os Deputados Hermeto (PMDF) e Roosevelt Vilela (CBMDF), O Deputado Luiz Miranda, a Deputada Flávia Arruda, além de um oficial próximo ao Chefe do Executivo,  e demais pré-candidatos não demonstraram até o momento qualquer poder de influência sobre o atual Governador, até porque sua eleição não dependeu diretamente desses atores.

O ideal, é que tivéssemos um Governador “nosso”, tal qual tínhamos Arruda. Mas, como estamos em “novos tempos”, ajudaria muito se nossos eleitos para a CLDF, além dos citados da Câmara Federal, estivessem ombreados em único propósito quando tratarem de nossas demandas. Já seria um sinal de que poderiam gerar alguma influência sobre IBaneiz Rocha. 

Política de resultados é a verdadeira política.

Por Roner Gama

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

Sobre este blog